Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justbymartawahnon

justbymartawahnon

Because we’ve got 2 love ourselves

Just… Friendship
 
 
 
A vida tem por base o nosso quotidiano, onde na maioria das vezes reclamamos por isso, porque queremos fugir à rotina mas esta é um dos nossos pilares para voar, sonhar e irmos mais além.
 
Pode parecer meio cliché e sei que se estivesse a ouvir, seria precisamente o que iria pensar mas é a mais pura verdade e é escusado estar com um grande floreado apenas para constatar uma verdade já há muito provada, ao afirmar que um outro pilar são as amizades. Como se costuma dizer, a família a pessoa não escolhe, não é porque é nossa que é garantida, aliás, nada nesta vida é garantido mas ao alimentarmos uma boa amizade, esta pode durar 
para a vida e fazer desta vida uma história muito mais significativa.
 
Por regra sou uma pessoa comunicativa, falo facilmente com qualquer um, tenho a capacidade de estabelecer ligações de uma forma muito natural, ao fim de quinze minutos, se fosse uma deslumbrada, diria aos quatro cantos do mundo que era a melhor amiga até do Obama! Mas isso depois evapora-se, parece efémero, chego quase ao ponto de dizer, que, por momentos, parece quase nunca ter acontecido! Prova em contrário são os sentimentos retraídos desses “laços”, fortes empatias, aquela linguagem que pouco precisamos de falar para entender que falamos a mesma língua, ou seja, regemo-nos por princípios de vida semelhantes e graças a Deus e graças a estes pontos que hoje ainda mantenho um pequeno círculo de amigos.
 
Manter uma amizade não é uma coisa fácil, ter muitos amigos é mentira, isso não existe, é utopia pura, talvez quando andávamos na primária, porque no liceu já começamos a lidar com as primeiras traições, quer amorosas quer amizades e embora nessa altura, dessemos mais importância às primeiras, a verdade é que se pudéssemos voltar no tempo, acredito que a maioria de nós escolheria a segunda, para tentar resolver e quem sabe, reaver! Actualmente, olho para trás e agradeço às minhas queridas amigas não terem desistido de mim, só mostraram que de facto gostam mesmo da minha pessoa e também que me conhecem e sabem que não é por me afastar que me esqueço delas, apenas sou assim, fases que me recolho no meu eu, outras que grito ao mundo que estou viva! É errado e em parte egoísmo da minha parte, não significa com isto que não estou lá para elas, elas é que se calhar também já não me chamam com tanta frequência precisamente devido à minha ausência e depois quero ir reclamar ao mundo que estou viva!?! Qual a coerência de tudo isto? Às vezes temos que parar antes de nos zangarmos com o mundo e fazer um juízo de valor dos nossos actos.
 
As 24h tem as mesmas horas de há 30 anos atrás, no entanto, parece que estas são mais escassas, limitam-nos às nossas obrigações, algumas horas parados no trânsito, o que nos dá algum tempo para divagar, sonhar até, mas ao invés disso, estamos constantemente a recordar a aquilo que temos que fazer e aquilo que não fizemos e quando damos por nós, já é final do dia, onde para uns há a responsabilidade de ir buscar as crianças, garantir que estas têm igualmente os seus deveres feitos, seguido dos banhos, preparar lancheiras, roupas/fardas para o dia seguinte e quando damos por nós, já com os miúdos na cama, são horas de fazer o nosso jantar (de casal) e teoricamente, conversar sobre o dia, ver um filme, falar sobre as actualidades e até trivialidades, sim porque há tempo para tudo, tempo!?! Onde, quando, Sim, talvez, nos tempos dos nossos avós, agora, assim que deito a minha filha se não fosse pelo Nuno, comia uns cereias, iogurte, algo que tiraria do frigorífico, via a novela (talvez ou uma seria americana) e adormeceria a meio!
 
A verdade e aquilo que me deixa tranquila, é constatar que a realidade geral de hoje é semelhante ao meu dia a dia e não às “conversas triviais” ao final da noite de um dia de semana.
Ainda esta semana e agradeço desde já e muito J, fui chamada à atenção sobre a importância do tema deste texto, a amizade; hoje ao final do dia, esteve cá uma amiga minha, das mais antigas mesmo, e veio ca deixar a filha para ficar a dormir com as nossas; é engraçado, porque a pessoa toma tudo como garantido ou vê tudo isto com naturalidade e esquece o quão privilegiado é!
Quando tínhamos 13 e 14 anos respectivamente, dizíamos sempre que um dia as nossas filhas seriam amigas mas até ser realidade seria uma sorte; são laços que não se obrigam, acontece ou não, ou existe a tal empatia ou não e seriam apenas as filhas de grandes amigas; no nosso caso tivemos sorte, dão-se bem e gostam muito umas das outras e há que dar valor a isso!
 
Não importa se a amizade nasceu há 1 mês, 1 ano ou há 10, desde que esta seja pura, genuína e que o outro saiba que nos pode ligar quer as 13h ou 04h, nós estaremos sempre lá, falemos uma vez por semana ou uma vez por mês!
 
Love you my sweet friends and forgive me for my absences not because i don’t like you anymore, with my age it doesn’t exist such a thing like that but I am still learning and i hope i will until i die.
 
I am almost forty and you are a precious piece of my life, because all of you together helped me to make me who I am right now!
Thank You!

 

 
Love you all every day!
 
 

1 comentário

Comentar post