Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

justbymartawahnon

justbymartawahnon

Already 2 weeks!

Ser paciente, das maiores virtudes que podemos ter

 

Impulsiva por natureza, adoraria que o dia tivesse no mínimo 30h e mesmo assim ficaria tanto por fazer; das palavras que mais ouvi na minha vida foi, "Calma!".

Quer queira, quer não, agora aceitei e o melhor, estou a saborear cada momento do dia, sentir a despedida da manhã ou o chamar da noite, sou a melhor companhia que o dia pode ter!

Hoje faz precisamente duas semanas que fui à faca e os progressos, segundo os "Senhores Doutores e Fisioterapeutas" que me aturam, mesmo às vezes fingindo que não vêm o telemóvel, têm sido positivos; aquela tala gigante que fazia com que parecia ter três ao invés de duas pernas já está guardada no armário, a meia "sexy", terei que esperar até ao final desta semana, mas os pontos também já foram à vida e esta tudo a sarar bem.

Os exercícios começam a ser puxados, já começo a sentir a falta dos músculos que literalmente desapareceram mas tranquilo, sei que é normal e segundo o Marco (sim, Sr. Marco Branco, estou a menciona-lo!), o meu caso nem é dos piores.

A vida dá tantas voltas!

A minha rotina, à semelhança de várias outras, passa por uma visita ao Hospital da Luz, onde cruzo-me e travo conhecimento com pessoas que jamais teria conhecido se isto não tivesse acontecido. Claro que não estou grata por mais uma impulsividade que tive na vida, onde ao descer uma pista de ski pus em risco quer a minha vida, quer a vida de uma criança, independentemente do que possa ter despoletado essa atitude; acima de tudo e mais importante é que ela ficou bem, totalmente ilesa e eu, que ia sem capacete poderia ter ficado bem pior, há que saber ler como um sinal, respeitar e evitar.

Mas regressando à parte boa, estou surpreendida com os progressos, com o desenvolvimento do corpo humano e respectivas reacções; se tudo correr bem, no final deste mês já terei autorização para conduzir! :)

 

IMG_4204.jpg

 See you soon my dear friends!

 

Love,

Marta