Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

justbymartawahnon

justbymartawahnon

Just another Mom

Ser Mãe de uma menina que estuda no 5º Ano meu antigo 1º Ano...

 

O ano lectivo mal começou e as diferenças saltam mais que pipocas no micro-ondas (outra, pois no meu tempo, eram feitas na panela!).

images.jpg

Dizem-se crianças, olhamos para o cartão de cidadão (nosso antigo b.i.) e consta que nasceram em 2004, quando estão febris não trocam o nosso colo por nada, mesmo quando já são quase maiores que nós, e, no entanto, arrastam-se para o colégio com mochilas com o dobro do seu tamanho e peso, estudam e fazem trabalhos, ou melhor exercícios que preciso de ir ao meu salvador, Santo Google para conseguir ajudá-la e por muito que me organize, a verdade é que já não consigo deita-la ou adormece-la antes das 21h15\30!

Viram Mulherzinhas....

 

"Fase do armário", quando aparece a história, quando o coração começa a bater de forma diferente, quando mudam o estilo de vestir... qual quê! 

Quando saltam da minha antiga 4ª classe para o actual 5º ano! 

Em miuda lembro-me e muitas vezes a minha mãe fazia questão de recordar-me, um dos meus pedidos mais frequentes, fosse de anos ou de Natal ou just because so: querer ser sempre assim, criança, não me deixe crescer, pedia eu.

Nos útimos dias ao levar a minha filha ao colegio, enquanto tentava memorizar as datas para entregas de trabalhos e testes, antes de sair do carro ela diz-me que queria continuar a ser criança... 

É quase irónico! Por natureza, desejamos sempre ter a nossa "presa" ali, debaixo da nossa asa e mesmo que esta também o queira a natureza faz o seu trabalho e tão bem feito que se o Homem intervir só irá prejudicar.

Custa ver estes meninos que ainda há uns anos poucos gatinhavam, agora estão a caminhar e a lutar pelo seu espaço no mundo; uma coisa é certa, eles têm uma segurança e conhecimento muito maior daquilo que os rodeia e só espero que com todas as ferramentas que têm ao seu alcance, consigam valorizar e lucrar com isso e não se deixem influenciar por um outro mundo, um mundo degradante, onde, no nosso tempo não havia ou era escasso e actualmente, depara-mo-nos a cada cruzar da esquina.

images1.jpg

Lembro-me perfeitamente do meu 1º dia no 1º ano estava no auge, achava-me crescidíssima, com tantos dossiers, livros que nunca mais acabavam, uma entrar e sair de professores, intervalos o tempo todo, embora fosse apenas de 5'. No final, quando sai a minha Mãe estava minha espera à conversa com a professora da 4ª classe, a Zéu (querida Zéu) e perguntaram-me como tinha corrido, o que disse ter adorado, quase como que, porque é que não me disseram que era assim, já teria pulado straight to the point?!? Lembro-me como se fosse hoje, o olhar das duas e o comment da Zéu para a minha Mãe: "hum hum, dê-lhe uma semana". 

Tinha Razão! Queria a minha 4ª classe back!

Mas o caminho é em frente e estou orgulhosa pela minha filhota e também pela minha outra princesa emprestada, porque sei que elas vão lutar, estudar e já não olham sequer para trás, aliás nenhuma das duas considera sequer isso uma hipótese! 

Para nós Mães/Pais, é um esforço enorme e não me refiro à parte financeira, é um esforço físico\psicológico, é uma dedicação, entrega para conseguir acompanhar, estar a par do que se passa, tentar que não percam o fio à meada porque eles precisam do nosso apoio, é um salto quase que em catadupa que eles dão com um pequeno intervalo que foi o Verão! Ainda há uns dias eles tinha "A" professora, o grupinho de amigo de sempre e uma rotina que girava quase que dentro de uma redoma, metaforicamente falando mas era mais ou menos assim.

M1.png

Costumo dizer que se houvesse um livro Como Ser a\o melhor Mãe\Pai do Mundo, estaria esgotado; todos nós queremos o melhor, é normal, é natural e só eles sentirem isso já é de grande valor!

O nosso tempo com eles é amor, aqueles que não conseguem é porque estão a fazer por eles e eles sabem e como!

Não há um Pai que já não tenha sido surpreendido pelo seu filho, naqueles momentos mais angustiantes ou quando a vida nos prega uma partida, depois dá-nos um rebuçado através de um recadinho dito por eles... Naquele momento é algo que não tem valor de tão precioso que é e a única vontade que temos é agarrar-mo-nos a eles e chorar mas de felicidade e gratidão, por que nesta vida tudo tem solução!

Como as "minhas" pequenotas estão a aprender, para a frente é que é o caminho e nós adultos muitas vezes relembramos ou aprendemos mesmo lições de vida com eles! Porquê?

São os nossos Anjos na Terra.

 

Love,

Marta